sábado, 19 de setembro de 2015

GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA EM SISTEMAS PARA BOMBEAMENTO DE ÁGUA



Trabalho de Conclusão de Curso.

 ETEC Getúlio Vargas para a obtenção do título de Técnico em Eletrotécnica.

Orientador: Prof. Domingos.



Elton de Sousa
João Gregório
Luis Ailton Santos de Oliveira
Mauricio Carvalho Santos

 4S Eletrotécnica-noite


São Paulo

2015


EMAIL PARA CONTATOS:
energyclean78@yahoo.com.br

iniciando a montagem

Cálculo de energia produzida pelos módulos fotovoltaicos

A energia produzida pelo módulo fotovoltaico é calculada da seguinte fórmula: Ep= Es x Am x Nm Sendo: Ep=Energia produzida pelo módulo diariamente [wh]. Es= Insolação diária [wh/m2/dia]. Am= Área da superfície do módulo[m2]. Nm= Eficiência do módulo.

Principio de funcionamento de um inversor

O inversor possui quatro transistores, denominados T1, T2, T3 e T4, são abertos ou fechados para transferir a tensão e a corrente elétrica da fonte de tensão continua para os terminais de saída do inversor. Os transistores são chaves eletrônicas que interrompem ou permitem a circulação da corrente elétrica de acordo com seu estado ligado ou desligado. A fonte de tensão continua (modulo fotovoltaico) é conectada ao conjunto de chaves ou transistores. Quando os transistores de uma diagonal são ligados,a tensão de saída nos terminais do inversor é positiva em seguida estes transistores são desligados e a outra diagonal entra em funcionamento,aplicando uma tensão de polaridade invertida aos terminais de saída acionando alternadamente os transistores das diagonais com freqüência fixa,obtém-se a onda quadrada de tensão alternada. Alem dos transistores um inversor possui outros componentes incluindo indutores, capacitores e um micro processador digital.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Inversor

É um equipamento eletrônico que converte a eletricidade de tensão e corrente continuas (CC) em tensões e correntes alternadas (CA). A maior parte dos aparelhos eletrodomésticos que conhecemos é construída para trabalhar com a rede elétrica de tensão alternada disponível em nossas residências (de 127 V ou 220 V, e freqüência de 60hz). Inversores eletrônicos de sistema fotovoltaico estão disponíveis no mercado em uma vasta gama de potência e tensões de entrada, tipicamente 12 V, 24 V ou 48 V. Pequenos sistemas que possuem geralmente até oito módulos podem trabalhar com o nível de tensão de 12 V. Sistemas de maior potência que possuem um número maior de módulos necessitam de níveis mais elevados de tensão para evitar que as correntes elétricas sejam muito grandes.

Modulo,Placa ou Painel Fotovoltaico

Um módulo fotovoltaico é composto por um conjunto de células montadas sobre uma estrutura rígida e conectadas eletricamente. Normalmente as células são conectadas em séries para produzir tensões maiores, pois uma célula sozinha produz pouca eletricidade, por isso várias células são agrupadas para produzir painéis, placas ou módulos fotovoltaicos.

Células Fotovoltaicas

A estrutura das células fotovoltaicas é constituída por duas camadas de material semicondutor P e N, uma grade de coletores metálicos superior e uma base inferior. A grade e a base metálica inferior são responsáveis pela coleta da corrente elétrica produzida pela ação da luz, que são identificadas como terminais elétricos. A base inferior é uma película de alumínio e prata. Atualmente existem diversas tecnologias para a fabricação de células e módulos fotovoltaicos. As células mais comuns de serem encontradas no mercado são as de silício monocristalino, a do silício policristalino e a do filme fino de silício.

Normas e Regulamentação

O ano de 2011 foi marcado com muitos avanços no setor de energia solar fotovoltaica no Brasil, principalmente pelos resultados das discussões geradas pelo Grupo Setorial de Energia Fotovoltaica da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (ABINEE) e pela comissão de estudos CE-03:082.01 do Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (COBEI), esses dois fóruns foram os responsáveis pela elaboração da norma que visa a conexão de inversores fotovoltaicos à rede elétrica com o intuito de promover a energia fotovoltaica no Brasil. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou em abril de 2012 a minuta da resolução normativa nº 482, que permite a microgeração e a minigeração de energia elétrica provenientes de fontes renováveis e alternativas com sistemas de geração distribuída conectados às redes elétricas de baixa tensão. A resolução nº 482 da ANEEL estabelece que cada cidadão brasileiro ou empresário pode instalar em seu telhado uma usina fotovoltaica produzindo eletricidade para a complementação do consumo próprio ou para a exportação de energia (neste caso conforme regras da ANEEL). A publicação e discussões de normas recentes trarão melhores esclarecimentos para consumidores, fabricantes de equipamentos, concessionárias de energia elétrica e instaladores.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Introduçao

A energia solar apresenta uma ampla aplicação, que abrange desde o fornecimento de energia às áreas remotas até sistemas que garantem a continuação do serviço em áreas urbanas, a utilização dessa fonte limpa e renovável vem se tornando uma das principais alternativas energéticas para o desenvolvimento do mundo atual. A energia solar fotovoltaica vista pelo lado do desenvolvimento social desempenha um importante papel em áreas isoladas ao redor do mundo. A geração de energia elétrica através da conversão direta da luz em eletricidade proporciona o suprimento de água e luz para as localidades que não possuem acesso à rede de distribuição. Por outro lado, um sistema solar fotovoltaico pode ser utilizado de modo complementar para garantir o suprimento de energia elétrica nas regiões urbanas caso ocorra uma interrupção no fornecimento ou então como uma opção de se economizar a conta de luz. Mesmo sabendo dos inúmeros benefícios dessa fonte de energia ainda encontram-se muitas barreiras para a inserção da mesma, uma delas esta relacionada ao seu alto custo, que é apontado como um fator negativo em comparação com a energia hidrelétrica. Porém ao contrário do que se pode afirmar, a energia solar fotovoltaica é economicamente viável e muito competitiva diante do elevado custo da energia elétrica para o consumidor brasileiro e diante dos aumentos inflacionários esperados das tarifas de eletricidade.

domingo, 30 de agosto de 2015

Componentes de um sistema fotovoltaico autônomo:

Um sistema fotovoltaico autônomo é constituído por uma placa ou um conjunto de placas fotovoltaicas, um controlador de carga, uma bateria e conforme a aplicação, um inversor de tensão contínua para tensão alternada. Em casos que requerem o uso de baterias utiliza-se obrigatoriamente um controlador de carga, que é um carregador de bateria específico para aplicações fotovoltaicas.

sábado, 29 de agosto de 2015

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Nosso Projeto

GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA EM SISTEMAS PARA BOMBEAMENTO DE ÁGUA. 

Aguardando entrega dos componentes para iniciar a montagem...


quarta-feira, 29 de julho de 2015

        ETEC GETÚLIO VARGAS
      Curso Técnico em Eletrotécnica, noite - 4ºS.
DTCC
Professor: Domingos

Elton de Sousa
João Gregório
Luis Ailton 
Mauricio Carvalho